TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Digital clock - DWR

sábado, 25 de janeiro de 2014

UN PASO ADELANTE, PERO CON ADVERTENCIA! (Coluna do Jornal Tribuna em 10/01/14)

As pautas dos jornais continuam as de sempre; escândalos políticos sem pés nem cabeça, mensalões, tremsalões, cocainocópteros, sentenças esquisitas, entre outros, finalmente tivemos uma noticia hoje que sinaliza um passo importante no processo de politização da massa, principio básico na linha politica do PT de 20 e tantos anos atrás.
O ministro Manoel Dias anunciou em entrevista ao Estadão a fundação no 1º Trimestre do próximo ano,  a universidade do trabalhador com aulas que  sobre marxismo, socialismo e capitalismo, passo importante mas que a meu ver já deveria ter sido dado a muito tempo atras. Um pais com níveis educacionais elevados tem condições de manter em ritmo acelerado o crescimento, mais ainda assim teremos que comer muito feijão com arroz para acompanhar o Uruguai.
No Uruguai o presidente José Mujica segue governando com uma visão pelo menos 30 anos a frente de seu tempo e tomando atitudes que contrariam até a ONU, que chega a se pautar da CONVENÇÃO SOBRE DROGAS DE “1961”, para  justificar a posição contraria a legalização da Maconha  no respectivo país.
Porém o resto do mundo (países que ainda não adotaram a medida) observa a atitude do Uruguai com olhos bem abertos e  não se fazem de rogados ao afirmar que se a decisão do Uruguai for bem sucedida, será adotada de imediato.
Prova cabal de que estamos em um acelerado processo evolutivo que torna os cidadãos cada vez mais responsáveis por seus atos e pouco a pouco vai obrigando outros governos a amadurecer,  desenvolvendo novas linhas de raciocínio  e se tornando menos corrupto,  como é o caso do Brasil que a anos vem dando GRITOS de necessidade dereforma política geral.


Processo este que ainda deve levar muitos anos para acontecer por aqui, tendo em vista que  políticos ainda se pautam  de mudanças para se eleger e após eleito a maioria acaba enquadrada nas mesmas irregularidades de seus antecessores, perdendo assim a chance de aprender com os erros alheios e evoluir enquanto ser humano dando melhores condições de vida ao povo que os elegeu. (é o tal do “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”)
De todas as formas que observamos esta questão é polemica, pois gera  controvérsias.
Vejam só; muitos afirmam que a maconha,  também conhecida como CANNABIS nada mais  é que uma erva e que a humanidade de uma forma ou de outra,  faz uso de variados tipos de entorpecentes (plantas milenares) desde que o homem anda em dois pés, por exemplo rituais indígenas entre outros, basta abrir livros de historia para se comprovar tal fato.
Sendo assim o X da questão não esta necessariamente na droga e sim na descriminalização da mesma e no controle  industrial do MERCADO NEGRO, aí sim,  partindo deste principio a atitude de José Mujica é avaliada como muito arrojada e ele certamente terá uma empreitada dura pela frente no Uruguai.
O tema é abrangente e para discuti-lo aqui no Brasil, apesar de fazermos uso de drogas inúmeras vezes mais potentes como, cachaça, anfetaminas etc, precisamos separar o joio do trigo, o que é questão de saúde publica e o que é questão de segurança publica e aí entra a necessidade da reforma política e alterações de leis e código penal, pois aqui não temos nem uma coisa nem outra, que dirá o resto.
Concordo com ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que defende a liberação, porem admite que a decisão tomada por José Mujica, não se enquadraria  a realidade brasileira que se quer tem leis compatíveis com uma política 100% correta.
De qualquer forma esta atitude do presidente uruguaio indica o quanto somos imaturos e despreparados, pois quando olhamos para o nosso quadro de políticos, percebemos que estamos a anos luz da realidade de futuro que demais países discutem e já implantam.
Já pensaram sobre os ambientalistas discutindo com a bancada ruralista sobre as plantações de MACONHA ORGÂNICA E TRANSGÊNICA?

Nenhum comentário:

Postar um comentário