TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Digital clock - DWR

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

As necessidades são muitas, o tempo e a verba são curtos e os erros são cruciais!

Nas redes sociais foi o assunto da semana, as lombadas, feitas, desfeitas e refeitas. Não sou expert no assunto lombadas, mas confesso que me fez refletir e muito. Se o objetivo é melhorar, entendemos, apoiamos e acreditamos, mas tem atitudes que deixam e muito a desejar, como por exemplo; - Fazer as lombadas em locais onde não haviam, certo ou errado, vamos avaliar o grau de necessidade da lombada no determinado local. Naturalmente que esta avaliação deverá ser feita por um profissional especifico para tal (imaginamos nós); - Segundo ponto que faz o sangue do motorista ferver é quando você vai passar a lombada feita por, sabe-se lá Deus quem, e a mesma esta extremamente alta, também “imaginamos que deve haver um patrão de medidas para lombadas”;
- As lombadas pelo que vemos, são compostas de determinada quantidade de massa asfaltica, que tem um custo para o município (tudo tem um custo para o município), ainda que a massa asfaltica tenha sido doação. (não sei se foi, estou apenas supondo) Por exemplo, o caminhão que transporta o produto (massa asfaltica), óleo diesel, pneus etc, o dia de trabalho do funcionário que cumpre ordens de quem determina local onde devem ser feitas, desfeitas e refeitas as lombadas, que poderiam estar designados a outras tarefas, mas isto são apenas exemplos e devo lembrar que não sou especialista no assunto.
- Vejam bem, fizeram as lombadas na entrada da cidade próximo ao trevo que dá acesso ao Santa Cruz, no local é possível observarmos que as mesmas foram removidas, ou seja, massa asfaltica perdida, tempo perdido, dia de trabalho do funcionário perdida, paciência do munícipe perdida.
E aí pensamos: - Normal! Erraram o local! Que bom que retiram a lombada daqui ou, que bom que refizeram a lombada melhor..... Este é o 1º pensamento de quase todo mundo que é otimista claro! Mas acompanhe aqui comigo pelas fotos que fiz ontem no final da tarde, no cruzamento da rua Antonio Simões dos Reis com a rua Da Pedreira;
-
A rua Antonio Simões dos Reis é asfaltada (onde não tem buraco, é claro!) porem, a situação é tão precária que mal conseguimos perceber neste trecho do cruzamento da Antonio Simões com a rua da Pedreira, que um dia houve asfalto. - Lógico que a culpa não é deste governo, a situação aqui, sempre foi precária em vários mandatos anteriores. “Mas a responsabilidade da manutenção é do governo em exercício!”. - Aí entra a reflexão sobre as lombadas feitas, desfeitas e refeitas; aquela massa asfaltica perdida no erro cometido, foi um dinheiro jogado fora por falta de raciocínio de alguém querendo mostrar serviço, quando poderíamos ter melhores condições de trafego no bairro esburacado, inclusive em suas vias principais como mostra nas fotos.
Entramos no 10º mês de mandato, já se passou quase 1 ano. Só o fato de limpar as principais vias publicas da cidade (sujeira deixada pela administração anterior), mudar a sede da Prefeitura para o centro da cidade, facilitando assim o acesso da população junto ao executivo, plantar flores nos canteiros das praças, voltar a fazer a limpeza nos bairros, como temos visto em alguns lugares, já melhorou e muito a cara da cidade. Imagino que estes, devem ter sido alguns dos fatores que podem ter motivado os resultados encontrados na pesquisa de opinião do turista feita recentemente, onde muitos dizem que não condiz com a verdade.
“Porem se tivessem direcionado o turismo para a nossa realidade do dia a dia dentro dos bairros, acredito que o resultado da pesquisa não tivesse sido o mesmo”. A prova disso foi o fato de termos encontrado mais lombadas feitas; - em frente ao restaurante Krocodilo, caminho da ducha de prata; - em frente ao restaurante Do Sino; - em frente ao Bosque do silencio; - chegada da ducha de prata;
Mais massa asfaltica gasta, enquanto isso a população nos bairros continua transitando nas condições em que muitos de vocês que estão lendo o blog neste momento, podem ver. Mesmo quem já esteve na Vila Nossa Senhora de Fátima (Vila Sodipe) sabe do que estou falando. Necessidade e prioridade parecem dois fatores que não estão caminhado juntos. Talves eu esteja aqui falando bobagens, talvez o infeliz que fez as lombadas, ainda não teve tempo de transitar com seu próprio veiculo aqui no bairro Vila Nossa Senhora de Fátima e assim ver e sentir com a suspensão de seu próprio veiculo o que nós moradores passamos todos os dias por aqui a muito mais de 10 meses, talvez eles estejam recebendo verba destinada exclusivamente a elaboração de lombas, o que justificaria este desespero em fazer lombadas, tudo é possível. Ter boas intenções é importante, porem não é suficiente, as necessidades em uma terra arrasada são muitas e o tempo é muito curto, erros são cruciais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário