TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Digital clock - DWR

sábado, 13 de novembro de 2010

Salvem os Professores

Enviado  por Edson Carmona - fonte:
Profissionais, como policiais por exemplo, ganham além do salário, um acréscimo aos seus vencimentos referente ao risco da profissão.Com o crescente número de violência e intolerância nas escolas do país, não seria hora de o professor também ter esse abono por insalubridade?
Só no estado do Paraná, quase metade dos professores entrevistados para uma pesquisa, revelaram o desejo de mudar de profissão. E 12% já apresentavam doença grave ligada a depressão (a síndrome do esgotamento profissional).
Mas, afinal o que está acontecendo? O último caso de violência contra profissinais ligados a área de educação aconteceu em Porto Alegre. Rafael de Souza Ferreira, de 23 anos, tido como aluno exemplar, não gostou de uma nota C que tirou e foi tirar satisfação com a coordenadora pedagógica Jane de Leon Antunes.
O aluno que é lutador de Jiu-Jitsu, espancou a professora com socos e com uma cadeira. A vítima teve os dois braços fraturados, dentes quebrados e ferimentos no rosto.
A causa da intolerância que testemunhamos em muitas unidades escolares é a dificuldade que a família tem em dar limites aos seus filhos e acabam agindo de maneira agressiva. Isso faz com que o jovem adquira a consciência errada de que tudo se resolve com violência.
O aluno Rafael, por ser maior de idade, poderá responder por tentativa de homicídio e, se condenado, poderá cumprir pena de quatro a cinco anos de prisão. Mas, o que fazer com os menores de idade que agridem professores?
Sinto falta dos velhos tempos, em que professor era como um membro da família e que tinha total respeito de seus alunos. Hoje, mal respeitam os pais, que dirá o profissinal que está em uma sala de aula tentando ensinar algo e que por vezes necessita de usar de limites que não foram aprendidos no seio familiar.
Chego a imaginar, num futuro não muito distante, professores tendo de aprender defesa pessoal, usando coletes ou dando aulas atrás de uma proteção de vidro e, ao final de cada mês, recebendo o acréscimo por trabalhar em uma profissão perigosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário