TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Digital clock - DWR

domingo, 5 de junho de 2011

Vereadores de Taubaté decidem manter comissão contra prefeito

A Câmara de Taubaté deu sinal verde para a continuidade da Comissão Processante que pode cassar o mandato do prefeito Roberto Peixoto. Os vereadores terão até 90 dias para levantar provas e ouvir testemunhas.
Moradores lotaram a Câmara e fizeram pressão pela cassação do prefeito. O relator da comissão leu o parecer, indicando a continuidade do processo.
A defesa de Roberto Peixoto teve 15 minutos para se manifestar. Os advogados alegaram que o prefeito não foi chamado para se defender durante os trabalhos da Comissão Especial de Inquérito, entre 2009 e 2010, mas os vereadores integrantes da comissão seguiram a indicação do relator e deram voto favorável ao prosseguimento do inquérito. Peixoto pode ser chamado na Câmara para dar explicações. “Vai depender agora de como nós vamos traçar na próxima reunião todo o rito a ser seguido com relação à instrução, mas acredito que sim”, disse a vereadora Pollyana Gama.
A Câmara investiga se houve irregularidade no contrato firmado entre a prefeitura e a Acert, empresa que forneceu medicamentos para a cidade em 2008. O contrato foi feito sem licitação e teria tido um superfaturamento de R$ 3 mi. “Aguardamos que a Câmara respeite o contraditório de agora em diante para a defesa porque até o momento não houve. A Câmara mencionou que ele teria acesso ao processo, que é público, mas todos sabemos que não é assim que se conduz um processo”, defendeu o advogado de Peixoto, Erich Castilho.
Agora a Comissão Processante terá um prazo máximo de 90 dias para recolher provas e ouvir as dez testemunhas citadas no processo. Depois disso pode enviar ou não ao plenário o pedido de cassação do prefeito.
As denúncias de supostas irregularidades na prefeitura de Taubaté provocaram uma série de mudanças na administração municipal. As alterações foram publicadas ontem no Diário Oficial. Foi confirmado o pedido de demissão do secretário de Obras, Sebastião Melin. Já o diretor de Transportes, Roberto Carpegeani, foi nomeado o novo diretor de Desenvolvimento Econômico.
Fonte: http://www.vnews.com.br/noticia.php?id=96841

Um comentário:

  1. Déjà vu : Mirassol- SP- prefeito atrás das grades http://t.co/6NW72ll

    ResponderExcluir