TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Digital clock - DWR

sábado, 14 de agosto de 2010

Audiência sobre trânsito em Taubaté - Texto enviado por Luiz Carlos Machado

Como era de se esperar as declarações do Diretor de Trânsito na audiência pública do dia 10 do corrente não foram convincentes, tentou justificar o sistema utilizado pela empresa que administra a zona azul em nossa cidade, mas não convenceu. Tudo leva a crer que esta empresa dificulta o cumprimento de suas exigências para multar o coitado do munícipe e aumentar seu faturamento.
Tentou justificar o péssimo estado que se encontra a semaforização da cidade, cuja manutenção é feita pela mesma empresa que administra a zona azul, também não convenceu.
Parabéns aos vereadores que abordaram com muita competência estas questões.
Em relação às críticas sobre as sinalizações horizontais (pinturas de solo) que orientam e dão segurança ao trânsito de veículos e pedestres os questionamentos deixaram a desejar. Com relativa facilidade, pois os vereadores não são especialistas nessa área, alegou o diretor que o asfalto em grande parte da cidade é de má qualidade e não fixa a pintura, sendo necessária a repintura em curto espaço de tempo consumindo muita tinta, alegou também que estava recebendo nova remessa de tinta, pois a mesma tinha acabado. Isso não deixa de ser verdade, mas não justifica a inoperância deste serviço.
Perguntas que não foram feitas
Quem projeta e fiscaliza a execução das obras de sinalização implantadas na cidade?
Seria possível explicar isto?

Pinta em um dia e cobre com tinta preta no outro para repintar e corrigir a bobagem feita. Falta total de planejamento. Depois diz que não tem tinta, não pode ter, não há tinta que chegue para tanto desperdício. Isto deveria ter sido questionado, afinal ele é responsável por toda esta “lambuzação”. Imagine quanto dinheiro jogado fora.


Enquanto as cidades em desenvolvimento traçam avenidas amplas com três, quatro faixas, o dep. de trânsito implanta a fila indiana estreitando as pistas com esses abomináveis “canteirinhos centrais”. Por que estão fazendo isto, será que não percebem que estão levando ao colapso o sistema viário da cidade? Se não conseguem melhorar, pelo menos não piorem...!

Em certa altura da audiência disse o diretor
___ As calçadas de Taubaté são muito estreitas, fica difícil implantar a sinalização vertical.
(o pedestre, o cadeirante, o carrinho de bebe que se dane!)

Se as calçadas de Taubaté são muito estreitas por que aprovou esta criminosa edificação na esquina da Rua Anísio Ortiz Monteiro com a Rua do Sacramento, na ocasião este diretor respondia pela pasta de planejamento, e veja o que permitiu fazer nessa calçada.
E nessa? Isto foi feito na mesma época, no túnel sob a ferrovia, ligação Jaraguá/Ana
Rosa.
As pessoas sem outra opção caminham pela pista disputando o espaço com os veículos expondo-se a um grande risco, pois tiraram a calçada para construir o famigerado “canteirinho central”. Porque não impediu esta bobagem? São inúmeras as interferências iguais a essas.

Em outro momento disse o diretor
Em outro momento disse o diretor, com ênfase...!
___Eu não projetei o dispositivo da rodoviária nova.
Alegou não ter responsabilidade pela construção do dispositivo da rodoviária nova, em frente ao túnel sob a Dutra, por não tê-lo projetado. Como não? Nesta época já havia reassumido a pasta do trânsito, portanto tinha a obrigação de analisar o projeto e
impedir a sua construção. Alegou também que a Nova Dutra exigiu a aprovação daquele projeto. Se a prefeitura tivesse sido competente não se deixaria intimidar, teria usado o fechamento do acesso à pista sentido Rio/São Paulo que comprometia a segurança da rodovia para negociar a aprovação de um projeto que atendesse os interesses da cidade. A Nova Dutra tinha grande interesse em fechar esse acesso, como tem para fechar o do outro lado, no sentido São Paulo/Rio, que também compromete a segurança da rodovia.

Se uma interferência desta magnitude é executada à revelia do responsável pelo
trânsito, então para que serve este “responsável”?
Muitas outras coisas precisariam ser perguntadas, mas seria necessário pelo menos um ano e meio para serem questionadas todas as bobagens feitas por este departamento, tais como, rotatórias, lombadas e etc.etc.etc...!
13/08/2010 – luiz carlos
Em tempo
Na próxima semana será realizada outra audiência publica, desta vez o convidado é o responsável pela pasta de planejamento. Vejamos o que tem a dizer.
Parabéns vereadores, isto pode ser o começo.
Sugerimos uma acareação dos titulares das pastas de planejamento, trânsito e obras, só assim será possível identificar o(s) responsável pelas bobagens que estão comprometendo a malha viária da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário